quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Cafuné


Cafuné! 

Que lembrança te traz? A minha é de minha bisavó, mesmo meio desajeitada para carinhos físicos, a ternura de um cafuné tem cheirinho de Didi!!! Uns tapinhas suaves, tímidos. Já me inebria de um passado divertido, café com leite, canoinhas de pão com manteiga, que num era lá muito refinado comer, mas se não fizesse muito barulho, sugando o pão embebido...passava batido!
Cafuné tem calor de sol batendo na beira da cama, de poeirinha seguindo os raios, roupa de cama, chinelo de quarto! Tem tato de mão de pele molinha, cheia de sardinhas da idade, que eu puxava pra brincar de "cará, cará, pinhé". Das coisas deliciosas impressas em nossos tijolinhos, que constrorem o que conhecemos e um dia poderemos passar adiante! Vivências! 
Há alguns poucos anos, trabalhando com uma molecadinha maravilhosa, percebi que eu não tenho muita postura de liderança, difícil fazer alguém ficar quietinho só pq eu quero! Sou péssima de limites! Kkkkkkk Os meninos estavam ultra agitados, já tinham jogado bola, capoeira, feito lição de casa, uma chuvarada de final de tarde, resolvi colocar uns colchonetes no chão e fazer uma espécie de relaxamento com eles! Não estava dando muito certo! Kkkkkk Uns se chutavam, os colchonetes viraram tatames, trampolins, camas elásticas...
De repente uma voz saiu de dentro de mim: "Quem ficar quietinho vai ganhar cafuné!". Olhinhos curiosos pularam imediatamente na minha frente: "Cafuné? Ca- fu-né? Cafuné, tia? Nenhum deles ouvira essa pequena palavra nesses nove, 10, 11, 12 anos de vida! 
A "tia" foi tomada por uma angústia... 
... os meninos foram deitando, esperando a surpresa - uns adormeceram, uns sorriram, uns chuparam o dedo... 
eu? Ganhei o dia!

sábado, 24 de setembro de 2016

Desabafo (9.587)

Desabafo:
Eu perdi muita coisa na vida...
... perdi meu pai aos 7 anos, minha bisa querida aos 12, perdi meu irmão de sangue... de pele, de vida... perdi amores, perdi um filho em formação...
perdi, perdi e perdi de novo! como eu perdi,  meu Deus! Perdi quase 15 anos da minha vida, por conta de um problema de saúde e me pego perdendo mais uma vez! agora um "irmão" que eu pensava ter!
me perdi ... achando!
perdi 12 anos casada, digo que perdi pq no final das contas ele falou que me amou só 3 anos dos 12 que passamos! Perdi também a paciência, o pavio, a "compostura" (muitas vezes).
ahhhhh como eu perdi!!!
aos quase 39 anos! perdi muito!
Mas ganhei coragem! vixi como ganhei!! ganhei admiração! ganhei força! ganhei o carinho de pessoas que amo taaaanto! ganhei dignidade! ganhei vontade própria! ganhei uma famíliia digna! de gente do bem! ganhei abraços, carinho, sorrisos!
ganhei mulheres maravilhosas ao meu redor, no meu convívio! ganhei poemas, conversas, noites perfumadas!
ganhei a capacidade de rir das coisas chatas, de fazer os outros rirem um pouco.... ganhei sabedoria! ganhei filhos que colho pela vida, amigos, ganhei a capacidade de me posicionar! me emocionar! ganhei no peito, no grito!
ganhei d+!!! vixi como eu ganhei!!
ganhei uma mãe maravilhosa, uma filha incrível!! ganhei sobrinhos tortos, familias queridas!!! ganhei a capacidade de pensar, sonhar, ouvir!
ganhei gana!! peguei gosto! luto pelo que acredito! pelo justo! pelo certo! pelo bem!
sou mulher pra "caraleooo"!
talvez até assuste! mas ganhei também livre arbítrio! ganhei escolher! opinar! optar!
ganhei uma vida pra ser vivida! pra frente!
não tenho medo!
tenho um pouco de timidez...
mas sei muito bem- principalmente o que não quero!!! ganhei a vida!
ahhhh como eu ganhei!!
sou feliz! imensamente grata por tudo que passei!
sou o que sou! o que falo, o que grito e também o que escrevo, que canto (às vezes) .
Sou muito orgulhosa da mulher que me tornei!
sou emoção, muito amor, bagunça...
sou o que todo mundo vê... se quiser mesmo enxergar

terça-feira, 3 de maio de 2016

vomita-se

"mar revolto
  rebeldia
do que não:
se egole
se adequa
se permite
se curva
se admite
se identifica,
se reconhece
se aceita
se acolhe
se cala
se convence
se ameniza ...

não morre!
não cicatriza!

vomita-se! "

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Tio Vi, Thi e Bowie

assistimos David Bowie, no estádio do palmeiras, abertura dos Titãs, se não me engano... 
... acho que eu tinha a idade da Laura...
tio Vi foi com a gente!! David era o Labirinto!! O apê do tio Vi era pitoresco, colorido como David, na lata de nescau tinha a famosa "da lata"! 
Thi era louco por tio Vi e vice e versa! Tio Vi sempre foi um livro de histórias, um livro carinhoso e sedento pra passar informações preciosas, de uma maneira deliciosa! Não tem como não amar tio Vi!!! Que Deus lhe dê muita, muita saúde, pra que ele possa contar tantas outras histórias, levar seus netos aos shows, exposições, ler vários livros, fazer pinturas, cerâmicas e tornar a vida deles inesquecível como as nossas! cheia de cores!!! cheia de carinho!!!






sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Breu

Oco 
Caos é pouco
Frio de alma
Fio de faca
Ponta de abismo
Breu
Anoitecer de mim
Penhasco
Enlaço em raizes
Vinco as unhas
Travo os dentes
Hidrográficas lágrimas
Cinzas
Cansei de sorrir



quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Diante do mar

Talvez não fosse a hora, o momento, o lugar
Se ao romper da aurora eu quisesse sonhar
Saía mundo afora, a dançar e a cantar
E as estrelas não cairiam do adorno, do altar

Quem me dera agora, diante do mar
Cuidando pra que não me atine a pensar
Na paz que me engoliu e me fez sufocar
Na imensidão das ondas, carente de ar

Só levo a certeza, na alma e no olhar
Que o mais intenso e certo que posso pensar
Que és a mais preciosa maneira de amar
De tanto sentimento...nem sei conjugar






quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Procura

Quando me deito
Amor
É por inteiro
É por desejar
O momento
Busco
Lá dentro
Dos olhos negros
Sedentos
Pedaço de mim
Que perdi
Faz tempo